Haiti prende norte-americanos que deixavam país com crianças

Por Joseph Guyler Delva PORTO PRÍNCIPE, 31 de janeiro (Reuters) - A polícia do Haiti prendeu dez norte-americanos suspeitos de participar de um esquema ilegal de adoções. Eles tentavam tirar 33 crianças do Haiti, disseram autoridades neste sábado.

Reuters |

Os cinco homens e cinco mulheres estavam sob custódia na capital do Haiti, depois de presos na noite de sexta-feira. Há temores de que traficantes poderiam tentar explorar o caos pós-terremoto no Haiti para promover adoções ilegais.

Ums das suspeitas detidas, que se disse líder de uma associação de proteção a crianças nos Estados Unidos, negou que estivesse praticando ato ilegal.

Os suspeitos foram detidos na fronteira entre o Haiti e a República Dominicana, numa inspeção de rotina em veículos.

Autoridades haitianas declararam que os norte-americanos nÃo tinham documentos relacionados à adoção das 33 crianças com idades entre dois meses e doze anos. Nada provava que elas haviam ficado orfãs no terremoto.

"Isso é totalmente ilegal", afirmou Yves Cristalin, ministro de Assistência Social do Haiti. "Nenhuma criança pode deixar o Haiti sem autorização, e essas pessoas não tinham autorização."

Autoridades dos EUA não foram imediatamente encontradas para comentar a situação.

Laura Sillsby, uma das suspeitas, falou com a Reuters da cela em que estava presa e disse que "tinha permissÃo da República Dominicana para levar as crianças a um orfanato" que a associação de proteção a crianças dela tem no país.

Segundo ela, o orfanato em que as crianças viviam em Porto Príncipe ruiu.

Autoridades haitianas já expressaram o temor de que organizações de ajuda legais no país possam levar crianças para o exterior para a adoção antes do fim dos esforços para achar os pais desses meninos e meninas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG