PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Uma corte do Haiti liberou nesta segunda-feira uma missionária dos Estados Unidos que esteve presa durante várias semanas, acusada de sequestrar crianças após o forte terremoto que devastou o país, disseram testemunhas. Charisa Coulter estava se preparando para voar do Haiti aos EUA. Autoridades haitianas detiveram em janeiro 10 missionários, mas oito deles foram liberados em fevereiro.

Atualmente, apenas a líder do grupo, Laura Silsby, permanece detida.

O caso provocou temores de que traficantes de crianças poderiam se aproveitar de menores vulneráveis e de adoções internacionais rápidas de órfãos haitianos, uma prática que foi vetada pelo governo.

Silsby, Coulter e outros norte-americanos, a maioria deles membros de uma igreja batista de Idaho, foram detidos em 29 de janeiro acusados de tentar tirar do país 33 crianças sem os documentos apropriados.

Todos os detidos declararam inocência e um juiz não encontrou evidências de delito por parte dos norte-americanos liberados.

Silsby segue na prisão enquanto um juiz investiga se ela estava tentando organizar uma viagem desde o Haiti sem os documentos apropriados, um crime de acordo com as leis haitianas.

(Reportagem de Joseph Guyler Delva)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.