Por Joseph Guyler Delva PORTO PRÍNICIPE (Reuters) - O Parlamento haitiano finalmente aprovou nesta sexta-feira a posse de um novo governo, substituindo o gabinete que caiu em abril por causa dos violentos protestos populares contra o alto preço dos alimentos na empobrecida nação caribenha.

Inicialmente, apenas 15 senadores votaram na noite de quinta-feira a favor da plataforma proposta pelo recém-indicado premiê Michele Pierre-Louis. Houve duas abstenções. Para ser confirmado, o economista precisaria de 16 votos no Senado.

A base governista então solicitou a suspensão da sessão até o meio da madrugada, para convencer o senador Joseph Pierre-Louis, que havia se abstido, a mudar o voto. A sessão e as votações foram transmitidas, madrugada adentro, por rádio e TV.

Há cinco meses, o premiê Jacques Edouard Alexis foi destituído pelo Congresso por não ter conseguido controlar o preço dos alimentos nem os protestos subsequentes, que provocaram pelo menos sete mortes.

A miséria no Haiti, que já é o país mais pobre das Américas, se agravou nas últimas semanas devido à passagem de três furacões e tempestades tropicais, que deixaram mais de 200 mortos.

Antes de aceitar Pierre-Louis, o Parlamento havia rejeitado duas indicações do presidente René Préval ao cargo de primeiro-ministro. O novo premiê, diretor de uma ONG educacional e de mobilização feminina, teve de se submeter a sabatinas na Câmara e no Senado, um processo que levou várias semanas devido a disputas políticas e por cargos no novo governo.

Pierre-Louis disse que suas prioridades serão a produção de alimentos, a criação de empregos, a segurança e o estabelecimento de um ambiente favorável a investimentos nacionais e externos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.