OEA entrega a governo documento indicando que houve manipulações nos resultados das eleições de 28 de novembro

As autoridades do Haiti detiveram nesta sexta-feira pelo menos 13 envolvidos em incidentes registrados em várias áreas da capital do país, Porto Príncipe, após a entrega do relatório da Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre as eleições de 28 de novembro, informou o porta-voz da polícia Gary Desrosiers. O documento indica que houve manipulações no primeiro turno eleitoral.

Segundo a emissora "Rádio Metrópole", uma pessoa teria morrido nos tumultos, em que foram usados barricadas, pneus queimados e tiros foram ouvidos, mas a polícia não confirmou a informação sobre a morte. Dois veículos foram confiscados.

Os distúrbios começaram depois que a OEA entregou ao presidente René Preval o relatório sobre o primeiro turno.

O documento, entregue pelo chefe da Missão de Observação Eleitoral da OEA e da Comunidade do Caribe (Caricom), Colin Granderson, e pelo diretor do Departamento de Observação e Cooperação Eleitoral (Deco) da OEA, Pablo Gutiérrez, recomenda que o candidato governista Jude Célestin, que ficou em segundo lugar de acordo com a apuração oficial, retire-se da disputa em benefício do cantor Michel Martelly. 

O relatório, cuja entrega inicialmente estava prevista para 9 de janeiro, ainda não foi publicado oficialmente. A imprensa, porém, recebeu uma minuta em que constam as recomendações preliminares da missão de especialistas.

Se as recomendações da OEA forem aceitas, a ex-primeira-dama Mirlande Manigat, vencedora do primeiro turno, disputará o segundo turno com Martelly, um cantor muito popular no país.

Os técnicos da comissão de verificação da OEA atribuem uma vantagem de 3.225 votos a Martelly sobre Celestin, após diminuir a contagem dos dois por causa das manipulações detectadas.

Pela nova conta, Martelly teria 227.467 votos, enquanto Celestin teria 224.242. Manigat, por sua vez, perderia 13.830 votos, ficando com 323.048.

Os resultados oficiais do primeiro turno deram a vitória a Manigat com 31,37% dos votos, enquanto Celestin teria 22,48% e Martelly, 21,84%. Pela recomendação da OEA, Manigat teria 31,6%, Martelly, 22,2%, e Celestin, 21,9%.

O Conselho Eleitoral Provisório agora terá de decidir se aceitará o parecer da OEA antes de anunciar a data do segundo turno das eleições, inicialmente prevista para 16 de janeiro, mas já descartada.

*Com EFE e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.