O britânico Gary McKinnon, acusado de invadir o sistema de informática do Pentágono, será julgado nos Estados Unidos porque perdeu nesta quarta-feira um recurso na justiça.

Conhecido como "Solo", o hacker de 42 anos apelou na justiça britânico para não ser extraditado para os Estados Unidos, levando seu caso ao máximo tribunal britânico, a Câmara dos Lordes. Nos EUA, ele é acusado de ter entrado nos computadores do Pentágono e da Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA)

No entanto, cinco juízes rejeitaram nesta quarta-feira o recurso de apelação. Sendo assim, McKinnon será extraditado para responder pelo que o promotor do caso chamou de "o maior ataque virtual militar de todos os tempos".

McKinnon, que pode pegar prisão perpétua pelo crime, admitiu que, entre 2001 e 2002, entrou no sistema de informática do Exército, da Marinha, do departamento de Defesa, assim como no da Força Aérea americana, de um computador do quarto da casa da tia de sua namorada em Londres.

McKinnon, conhecido como o "hacker do Pentágono", nunca foi julgado na Grã-Bretanha, onde os tribunais britânicos deram luz ver à sua extradição em 2006.

bur/ame/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.