Hacker britânico consegue outro recurso contra extradição para EUA

O hacker britânico acusado por Washington de ter pirateado os computadores do Pentágono e da agência espacial americana Nasa obteve nesta sexta-feira o direito de apresentar um novo recurso contra sua extradição para os Estados Unidos.

AFP |

Os dois juízes britânicos encarregados do caso disseram nesta sexta-feira que o caso de Gary McKinnon - um desempregado de 42 anos, classificado pela justiça americana como o "maior hacker de todos os tempos" -, merece uma análise mais profunda.

Os juízes da Alta Corte permitiram a McKinnon que apelasse da decisão da ministra britânica do Interior, Jacqui Smith, que em outubro de 2008 deu luz verde à sua extradição para os EUA.

Detido em Londres em junho de 2005, McKinnon é acusado de ter entrado, entre fevereiro de 2001 e março de 2002, nos computadores da Nasa, do Exército, da Aeronáutica, da Marinha e do Pentágono dos Estados Unidos.

Se for extraditado, McKinnon - que acessou de sua casa, em Londres, os computadores do governo americano - pode ser condenado à prisão perpétua.

O autor da maior operação de pirataria feita até agora com os computadores do governo americano contou em várias audiências sua surpresa pela facilidade com a qual teve acesso aos arquivos destes computadores.

McKinnon, que usou o pseudônimo "Solo" para acessar os computadores, afirmou que sua única motivação foi a curiosidade.

bur-ame/lm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG