Habitantes da Cidade do México mudam hábitos sexuais pela gripe

México, 9 mai (EFE).- Cerca de 21% dos habitantes da Cidade do México admite que mudou seus hábitos sexuais por causa da epidemia de gripe suína que, em 23 de abril, colocou o país em alerta, informa hoje o jornal Reforma.

EFE |

Em uma pesquisa por telefone realizada pelo jornal com 410 adultos, 60% afirmam que mantém o mesmo nível que antes em seus contatos sexuais, 20% indicam que reduziram, 19% renunciaram a isso e só 1% admite que aumentou a frequência.

Além disso, 42% dos entrevistados reconhecem que agora "beija menos seu parceiro" e 41% dizem "utilizar mais comumente" preservativo nas relações sexuais.

Dos entrevistados, 33% "vão ao ponto", sem preliminares", dada a conjuntura atual por causa da gripe suína, e 10% admitem que usam máscaras cirúrgicas nos contatos íntimos com seu parceiro.

No entanto, 71% dos entrevistados acreditam que a máscara não serve de nada no momento de ter sexo mais seguro.

Sobre se obedeceriam ao Governo caso fosse declarada uma quarentena sexual, 67% responderam que sim, frente aos 30% que não cumpririam e 3% de indecisos.

A principal via de transmissão do vírus A (H1N1) da gripe suína é o contato, por isso o Ministério da Saúde mexicano recomenda intensificar a higiene pessoal e reduzir contatos e uso de algumas peças, como gravatas.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE act/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG