(Embargada até às 14h de Brasília) Londres, 7 set (EFE).- As diferentes habilidades dos estudantes para a matemática estão muito relacionadas a um sentido intuitivo para os números, adquirido em fases evolutivas remotas, diz um artigo publicado hoje pela revista científica britânica Nature.

A habilidade na matemática emerge de dois sistemas de representação diferentes.

O primeiro, relativo a campos como cálculo, depende de representações simbólicas que requerem aprendizagem e abstração, e por isso é único no ser humano.

O segundo, chamado de "sistema de número aproximado", é relativo às intuições numéricas mais básicas, permite a distinção de quantidades, é sustentado em um sistema que remete a épocas remotas do ser humano e está presente em adultos, crianças e alguns animais.

Com ele, os indivíduos podem calcular o número aproximado de objetos existentes sem precisar contá-los e utilizar esta capacidade para guiar seu comportamento diário.

Até agora, não se sabia se este sistema era igual em todos os indivíduos da mesma espécie ou se alguns contavam com um sistema mais preciso.

Uma equipe de pesquisa da Universidade Johns Hopkins (EUA), liderada por Justin Halberda, mostrou que realmente existem diferenças.

Além disso, descobriu que a habilidade dos estudantes para a matemática na escola vem junto com a diferente destreza de estimativa não-verbal, e não ao coeficiente intelectual ou ao talento do raciocínio visual-espacial.

Os cientistas cognitivos chegaram a estas conclusões após realizar um experimento com jovens americanos de 14 anos que deviam mostrar sua capacidade de calcular quantidades sem ter que contar com precisão.

Para isso, elas deviam dizer qual era a cor mais presente em uma tela coberta por pontos amarelos e azuis.

Os resultados foram diferentes, e os que mais acertaram foram justamente os que haviam obtido melhores notas nas provas de matemática desde o pré-escolar.

Os cientistas consideram que os resultados desta pesquisa poderiam influenciar na educação básica, a fim de melhorar as habilidades futuras em matemática. EFE vmg/fh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.