CHICAGO (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, considera o endosso do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, à solução de dois Estados para o conflito no Oriente Médio como um grande passo adiante, mas reconhece que ainda há um longo caminho a percorrer, informou a Casa Branca na segunda-feira. O governo Obama buscou dar uma ênfase positiva ao discurso proferido no domingo por Netanyahu, no qual ele aceitou pela primeira vez o princípio defendido pelos EUA de um Estado palestino, mas impôs uma lista de condições, que foram rejeitadas pelos palestinos.

"O governo Netanyahu deu um grande passo adiante ontem ao reconhecer pela primeira vez a necessidade de uma solução de dois Estados", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, aos jornalistas que acompanhavam Obama numa viagem a Chicago a bordo do avião Air Force One.

"O presidente acredita que há um longo caminho a percorrer e muitas reviravoltas na estrada para se chegar lá, mas está satisfeito até agora com o progresso que está sendo feito, e eu acho que o discurso de ontem certamente é uma grande parte disso."

Netanyahu endossou o estabelecimento de um Estado palestino sob a condição de que Israel receba antes garantias internacionais de que o novo país será desmilitarizado.

Embora Netanyahu tenha respondido à pressão exercida por Obama ao longo de semanas sobre a questão do Estado palestino, os palestinos ficaram decepcionados com a exigência do líder israelense para que reconheçam Israel como Estado judaico e por ele não ter previsto a interrupção na expansão dos assentamentos judaicos na Cisjordânia ocupada.

Obama pede pelo congelamento total dos assentamentos, seguindo a linha do "mapa do caminho" patrocinado pelos EUA, mas Netanyahu, que lidera o novo governo de tendência direitista, quer que as obras continuem nos enclaves judaicos existentes.

"Estamos trabalhando e discutindo com todos os envolvidos sobre como podemos levar esse processo adiante e como podemos criar uma solução de dois Estados, onde Israel e os palestinos vivam lado a lado em paz e segurança", disse Gibbs.

"O que o sr. Netanyahu disse ontem é uma parte importante disso", acrescentou ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.