Gustav cai para força 2 e chega às costas americana do Golfo do México

Os efeitos do poderoso furacão Gustav, agora reduzido para categoria 2, começaram a atingir nesta segunda-feira a costa americana do Golfo do México e cerca de dois milhões de pessoas foram retiradas do Estado da Louisiana.

AFP |

Nova Orleans, ainda traumatizada pela passagem do furacão Katrina em 2005, já está sem energia elétrica e é quase uma cidade-fantasma.

O olho do furacão, que deve tocar a terra hoje durante o dia, estava a 135 km ao sul de Nova Orleans e se movimentava rumo a noroeste, a 26 km/h, às 11H00 GMT, segundo o Centro Nacional dos furacões (NHC).

Na categoria 2 da escala de 1-5 de Saffir-Simpson, Gustav registra ventos estáveis de 175 km por hora.

Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC), Gustav pode provocar um aumento das águas "extremamente perigoso", entre três e quatro metros acima do nível normal.

As autoridades mobilizaram mais de 750 guardas nacionais em Nova Orleans por precaução para operações de salvamento para as milhares de pessoas que não quiseram deixar suas casas.

Segundo o governador de Louisiana, Bobby Jindal, Gustav, que deixou mais de 80 mortos no Caribe, pode ter feito novas vítimas domingo neste estado do sul: três pacientes que estavam em estado grave morreram durante a evacuação do hospital.

As instalações petrolíferas desta região do Golfo do México que concentra um quarto da produção de cru dos EUA, foram totalmente fechadas, antes da chegada de Gustav.

Na ocasião, Gustav ainda era um furacão de categoria 3, numa escala de 5, com ventos de o mínimo 185 km/h.

Os moradores de Baton Rouge, capital da Louisiana, de Nova Orleans e outras cidades do interior das terras, foram advertidos contra possíveis tornados localizados, ligados ao furacão.

Além disso, Gustav atrapalhou completamente o programa da convenção republicana, que começa nesta segunda-feira em St Paul (Minnesota, norte) para lançar John McCain como candidato à Casa Branca. A maioria dos trabalhos foi suspensa até nova ordem, com exceção dos procedimentos extremamente necessários para dar continuidade aos trabalhos.

O presidente George W. Bush decidiu não ir a St Paul e já está no Texas (sul) para supervisionar a coordenação das operações de socorro. A má gestão de seu governo durante o Katrina foi uma catástrofe política para o presidente.

John McCain foi para Mississippi (sul) para verificar os preparativos.

Seu rival democrata, Barack Obama, se disse pronto a "ativar uma lista de dois milhões de pessoas "para encontrar voluntários e oferecer donativos".

bur-chl/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG