Gustav atinge categoria 4 e se aproxima de Cuba

O furacão Gustav ganhou força e atingiu a categoria 4, com ventos de até 230 km/h, e continua avançando na direção do oeste de Cuba, que já experimenta chuvas torrenciais e ondas gigantes. Autoridades cubanas ordenaram a retirada de milhares de pessoas, incluindo turistas estrangeiros, das áreas mais baixas da ilha caribenha.

BBC Brasil |

O olho do furacão está próximo à ilha de Youth, a cerca de 250 km de Cuba, e as previsões meteorológicas indicam que Gustav deverá atingir em cheio a província de Pinar del Rio.

Cerca de 80 pessoas morreram na República Dominicana, Haiti e Jamaica por causa do furacão, que também passou pelas Ilhas Cayman, onde não há relatos de vítimas.

O correspondente da BBC em Havana Michael Voss disse que Cuba tem um dos mais eficientes esquemas de preparo e organização para retirada de moradores da região, mas que as más condições das casas na capital podem representar um risco adicional.

Categoria 5
Segundo as previsões do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, com sede em Miami, nos próximos dias, a tempestade poderá ganhar mais força e chegar à categoria 5, a última na escala de Saffir-Simpson.

Os meteorologistas previram ainda que Gustav deve atingir a costa americana - em algum local entre o sul do Texas e a Flórida - até terça-feira.

As autoridades de Louisiana, que poderá ser atingida por Gustav entre segunda e terça-feira, já começaram a retirar pacientes de hospitais e pessoas mais vulneráveis de forma geral.

O prefeito de Nova Orleans disse que decidiria na manhã deste domingo se emite uma ordem de retirada obrigatória da cidade, devastada pelo furacão Katrina em 2005.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, declarou estado de emergência na Louisiana e no Texas.

A Casa Branca informou que será enviada ajuda federal para complementar os esforços estaduais e locais para conter os danos que podem ser provocados pelo furacão.

Mais de 1,5 mil pessoas morreram em Nova Orleans há três anos em conseqüência da passagem do furacão Katrina.

Nova Orleans e a área costeira do Mississippi lembraram as vítimas de Katrina. Os sete últimos corpos não reclamados foram sepultados em Nova Orleans em um memorial na sexta-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG