Guiné-Bissau volta às urnas amanhã para 2º turno de eleições presidenciais

Dacar, 25 jul (EFE).- Aproximadamente 600 mil eleitores voltarão às urnas amanhã na Guiné-Bissau, para o segundo turno das eleições presidenciais, entre os dois candidatos mais votados no dia 26 de junho.

EFE |

Malam Bacai Sanhá, do governante Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), e Koumba Yala, do Partido da Renovação Social (PRS), disputam o segundo turno das eleições presidenciais.

O vencedor substituirá o presidente João Bernardo "Nino" Vieira, assassinado por um grupo de militares no dia 2 de março.

Sanhá, ex-presidente interino e candidato do PAIGC, conquistou 39,59% dos votos no primeiro turno, enquanto Yala, também antigo líder do país e líder do PRS, obteve 29,42%.

Em 2000, os dois políticos se enfrentaram em um segundo turno, ganhado por Yala, cujo mandato foi interrompido pelo golpe de Estado militar de Vieira, em 2003.

Com 24,19% dos votos, o empresário e também ex-presidente interino de 2003 a 2005 Henrique Pereira Rosa, foi o terceiro candidato mais votado dos 11 do primeiro turno e, por isso, não participará do pleito de amanhã.

No entanto, segundo os analistas políticos, é possível que os votos dos cidadãos que apoiaram Pereira na primeira rodada sejam decisivos na disputa do segundo turno, embora ele não tenha dado nenhuma recomendação a seus simpatizantes, o que deixa os resultados das eleições muito incertos.

Os dois rivais finalizaram sua campanha eleitoral na sexta-feira, na qual ambos reiteraram suas promessas de um futuro melhor para seus compatriotas e sua vontade de acabar definitivamente com a instabilidade que afundou o país no caos.

Pelo menos 140 observadores eleitorais internacionais da União Africana, da União Europeia (UE), da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa vigiarão as votações, em 2.500 colégios eleitorais, distribuídos por todo o país.

A UE enviou uma missão de 21 membros, liderada pelo deputado belga Johan Van Hecke.

Os colégios eleitorais abrirão às 7h (4h, no horário de Brasília) e fecharão às 17h (14h, no horário de Brasília). EFE st/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG