Bogotá, 28 set (EFE).- Quatro guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) mataram, no sudoeste colombiano, um de seus chefes e posteriormente se entregaram às autoridades para se refugiar no plano de desmobilização, informaram meios de imprensa locais.

Os 4 guerrilheiros teriam matado o conhecido como "Gómez" na cidade de Argélia, departamento (estado) de Cauca, que estava 15 anos nas fileiras rebeldes e, além disso, era o encarregado das finanças e do narcotráfico nesta região do país.

Os guerrilheiros pertenciam à companhia "Camilo Cienfuegos", da qual "Gómez" era segundo comandante.

Em declarações aos canais de notícias de televisão colombianos, um dos desmobilizados, disse que o corpo do chefe guerrilheiro tinha sido jogado em um rio.

A péssima alimentação, as más condições de saúde de vários de seus companheiros, os maus tratos, foram as causas pelas quais os guerrilheiros mataram seu chefe.

Eles contaram que outros guerrilheiros desejam se desmobilizar já que a pressão do Exército colombiano e a perda de rumo ideológico do ELN fazem com que ocorram constantes confrontos internos. EFE ocm/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.