Guerrilheiros assassinam governador sequestrado na Colômbia

BOGOTÁ (Reuters) - Guerrilheiros de esquerda assassinaram o governador do departamento colombiano de Caquetá, Luis Francisco Cuéllar, sequestrado horas antes, e o corpo da autoridade, rodeado de explosivos, foi encontrado pelo Exército, informou o governo nesta terça-feira. O crime foi considerado como um dos mais graves cometidos pela guerrilha desde que o presidente Álvaro Uribe assumiu o poder, em agosto de 2002.

Reuters |

A governadora encarregada do departamento de Caquetá, Patricia Vega, disse que ficou sabendo da morte de Cuéllar pelo ministro da Defesa, Gabriel Silva.

"Tristemente temos que aceitar essa realidade tão dolorosa. É um golpe muito forte", garantiu a funcionária, que revelou que o corpo apareceu perto do lugar onde os guerrilheiros abandonaram e incendiaram o veículo que usaram para fugir.

O corpo do político de 69 anos, com várias marcas de bala, foi encontrado pelas Forças Armadas em uma região de floresta no departamento de Caquetá, no sul do país, como parte das operações ordenadas por Uribe para resgatar o funcionário com vida.

O sequestro e posterior assassinato de Cuéllar foram interpretados como uma demonstração de poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e um desafio ao governo que poderia dificultar a esperada libertação de dois reféns.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG