BOGOTÁ - Um membro da guerrilha das Farc morreu e outro foi dado por desaparecido em confrontos com o exército colombiano durante as operações de resgate de vários reféns, disse o comandante do grupo insurgente Jairo Martínez ao canal Telesur.

Os três policiais e o soldado colombianos que seriam libertados, neste domingo, pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) já estão livres e em poder da missão humanitária que os recebeu em um ponto do sul da Colômbia.

O helicóptero brasileiro, com os emblemas da Cruz Vermelha Internacional, saiu do aeroporto do cidade de Florência, capital do departamento de Caquetá, no sul da Colômbia, por volta das 11h15 (horário de Brasília), em direção a algum ponto da selva para buscar os três policiais e um soldado.

Esta é a primeira liberação unilateral de reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia desde fevereiro de 2008, quando as Farc entregaram quatro políticos a uma missão humanitária liderada pela Venezuela.

As Forças Militares e de polícia suspenderam suas operações na área onde aconteceu a entrega, uma ampla região de selva com forte presença das Farc e cenário de intensas ações das tropas do governo contra a guerrilha e o narcotráfico.

Com a liberação unilateral, as Farc buscam ganhar espaço político e apoio internacional, depois de ataques realizados pelas forças de segurança terem resultado na morte de importantes líderes do grupo e no resgate de Ingrid Betancourt, segundo analistas.

Leia mais sobre Farc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.