Guerrilha tâmil acusa Exército de matar 64 civis em ataque a hospital

Nova Délhi, 2 mai (EFE).- A guerrilha tâmil acusou hoje o Exército do Sri Lanka de matar 64 civis ao lançar dois ataques aéreos sobre um hospital na área de combates, no nordeste da ilha.

EFE |

O site Tamilnet, afim aos rebeldes, afirmou que os bombardeios aconteceram em um hospital na localidade de Mullivaaykkaal e que outras 87 pessoas ficaram feridas nos ataques.

O comunicado afirmou que as tropas cingalesas souberam das coordenadas exatas do centro médico através do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), a única organização humanitária que tem acesso à área.

"O massacre foi calculado para coagir os civis", assegurou o site, citando um trabalhador humanitário que disse ter visto panfletos lançados do ar com uma mensagem do presidente, Mahinda Rajapaksa, para que os civis saíssem da área.

O Ministério da Defesa cingalês não se pronunciou, por enquanto, sobre a denúncia.

O Sri Lanka aceitou recentemente parar de bombardear a zona e usar armas pesadas nesta pequena faixa de apenas 5 quilômetros quadrados situada no distrito nortista de Mullaitivu, mas continuou com suas "operações de resgate" de civis. EFE amp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG