Guerrilha mexicana ameaça romper trégua

A guerrilha mexicana do Exército Popular Revolucionário (EPR) ameaçou nesta segunda-feira romper a trégua que mantém desde 2007, caso as autoridades não informem o paradeiro de dois membros do grupo.

AFP |

"Se em um período de tempo razoável não recebermos uma resposta que satisfaça as necessidades de nosso povo e partido, o governo federal será, sobretudo o senhor (presidente Felipe) Calderón, o responsável direto pelo que pode desencadenar ante este ominoso silêncio e dilação", afirma o EPR em um comunicado divulgado no estado de Oaxaca, sul do país.

O EPR denuncia o sequestro de Edmundo Reyes e Gabriel Alberto Cruz por policiais e militares em maio de 2007 na cidade de Oaxaca. Desde então permanecem desaparecidos.

Dois meses depois do sumiço dos integrantes, a guerrilha atacou oleodutos da gigante Petróleos Mexicanos (Pemex), a principal empresa do país.

A guerrilha declarou uma trégua unilateral no fim de 2007 e em maio do ano passado iniciou um diálogo com o governo federal, que não obteve resultados.

str-gbv/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG