Guerrilha diz que matou 20 soldados em ataque à Shell na Nigéria

Lagos, 29 jun (EFE).- A guerrilha do Movimento para a Emancipação do Delta do Níger (Mend) assegurou hoje que matou 20 soldados no ataque contra uma plataforma petrolífera da companhia Shell.

EFE |

Segundo um comunicado do movimento enviado à imprensa, quando os rebeldes atacaram a plataforma, no litoral do estado de Delta, uma embarcação militar interveio e "foi afundada com todos os seus ocupantes, que eram entre 20 e 23".

A nota ressalta que o resultado foi "a morte dos soldados", uma informação que não foi confirmada pelos militares.

No entanto, o porta-voz da Shell na Nigéria, Precious Okolobo, indicou que tinham recebido informação sobre o novo ataque e que algumas operações tinham sido suspensas na plataforma como medida de precaução, enquanto eram investigados os efeitos do atentado.

No sábado passado, o Mend, principal grupo guerrilheiro da zona petrolífera do sul da Nigéria, rejeitou taxativamente uma anistia oferecida aos grupos armados do sul do país pelo presidente Umaru Yar'Adua.

Segundo o movimento, a oferta governamental "não está dirigida, aparentemente, a combatentes pela liberdade como o Mend, mas a ladrões armados, sequestradores e outros criminosos".

O Mend realizou nas últimas semanas diversos ataques contra instalações da Shell, da americana Chevron e da italiana Agip, o que reduziu em outros 300 mil barris a produção diária de petróleo no país.

O movimento e outros grupos iniciaram em 2006 suas atividades armadas para reivindicar junto ao Governo nigeriano mais autonomia e investimentos na empobrecida região petrolífera do Delta do Níger.

Desde então, atacaram oleodutos, gasodutos, instalações de extração e estações de bombeamento e sequestraram empregados de companhias petrolíferas nacionais e estrangeiras. EFE dá/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG