Guerrilha congolesa sequestra 8 funcionários da Cruz Vermelha

Genebra, 13 abr (EFE).- A guerrilha dos Mai-Mai, movimento rebelde pró-Governo, mantém sequestrados desde a sexta-feira passada oito funcionários da Cruz Vermelha (sete congoleses e um suíço) perto de Fizi, no leste da República Democrática do Congo (RDC), informou hoje o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

EFE |

O sequestro aconteceu por volta das 14h locais, durante o retorno de uma equipe do CICV de uma missão de avaliação das necessidades dos deslocados na região.

"Pedimos ao grupo que detiveram nossos colegas que os liberte o mais rápido possível", disse o chefe da delegação do CICV na RDC, Franz Rauchenstein.

A região de Kivu Sul, onde a equipe foi sequestrada, foi marcada por violentos enfrentamentos que provocaram o deslocamento de milhares de civis nos últimos meses.

"Se realizamos atividades nesta região é para proteger e prestar assistência às vítimas dos conflitos armados. Continuaremos insistindo em que seja reconhecido o caráter estritamente humanitário, imparcial e neutro de nossa ação", acrescentou Rauchenstein. EFE rcb/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG