A guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) reiterou que libertará dois militares sequestrados, assim que o governo do presidente Alvaro Uribe divulgar os protocolos de garantia para a ação.

As Farc ofereceram em abril a liberdade do cabo Pablo Emilio Moncayo, que está há 12 anos em cativeiro, e do soldado Livio Calvo, mas a operção não aconteceu.

"Reiteramos que é necessário conhecer os protocolos que apresentam as garantias oficiais por meio das quais se impedirão provocações", afirma o comunicado divulgado no site Anncol.

No comunicado, as Farc não mencionam o sequestro e assassinato, semana passada, do governador Luis Francisco Cuéllar.

nn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.