Mais de 200.000 pessoas vivem há uma semana na selva do leste da República Democrática do Congo (RDC) por temer ações violentas dos soldados ou dos rebeldes, anunciou nesta segunda-feira a Missão das Nações Unidas na RDC (Monuc).

"Uma equipe da Monuc que voltou no fim de semana passado das localidades de Kanyabayonga, Kanya e Kirumba confirmou que mais de 200.000 pessoas, entre moradores destas aldeias e refugiados das aldeias vizinhas de Rutshuru e Kibirizi, estão vivendo na selva há uma semana" na província de Kivu Norte, afirmou a Monuc em comunicado.

"Os moradores temem uma eventual invasão destas localidades pelos rebeldes do CNDP (Congresso Nacional para a Defesa do Povo) ou por elementos descontrolados" do Exército da RDC, revela o texto.

bed/yw/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.