Guerra contra o narco está perdida, diz capo Zambada

México, 3 abr (EFE).- A guerra empreendida pelo Governo mexicano contra o narcotráfico está perdida porque o narco está na sociedade, enraizado como a corrupção, afirma Ismael Zambada, um dos líderes do Cartel de Sinaloa, em um encontro com o veterano jornalista mexicano Julio Scherer.

EFE |

"O problema do narco envolve milhões" e as substituições dos capos "já andam por aí", acrescenta "O Maio" Zambada, revelou hoje o semanário "Processo".

Pela captura de Zambada, o Governo mexicano oferece US$ 2,3 milhões de recompensa.

A capa do "Processo", que começa a circular amanhã, traz uma fotografia na qual aparece Scherer junto a "Maio", como testemunha deste encontro em um lugar não revelado.

Este homem robusto, amigo e compadre de Joaquín "O Chapo" Guzmán, o principal líder do Cartel de Sinaloa, tem 60 anos, 1,80 metros de altura e está a mais de 40 anos no narcotráfico.

Reconhece que tem "pânico" que o prendam e quando questionado sobre se tiraria a própria vida caso o apanhassem disse: "Não sei.

Quero pensar que sim, que me mataria".

Zambada revelou ao jornalista que chora por seu filho, Vicente Zambada Niebla, detido em 2009 e extraditado este ano para os Estados Unidos.

Também confessa que "O Chapo" e ele são amigos e compadres e que falam "por telefone com frequência". Além disso, qualifica como "tolices" que a revista americana Forbes inclua "O Chapo" na lista de milionários do mundo. EFE gt/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG