Guatemala diz que não fechará fronteiras por gripe

Cartagena (Colômbia), 6 mai (EFE).- A Guatemala não fechará as fronteiras nem cancelará os voos para o México após saber do primeiro caso da gripe suína no país,, assegurou hoje o presidente Álvaro Colom.

EFE |

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados.

"Não pensamos em fechar a fronteira e cancelar os voos.

Honestamente não serve para nada, é uma utopia fechar a fronteira porque temos 78 passagens normais e é impossível", afirmou o presidente, que está em visita à Colômbia.

O líder assinalou que após descobrir o caso da criança guatemalteca se implantou "um cordão de saúde muito forte no aeroporto, nas fronteiras" e disse crer "que não vai haver mais" outras ocorrências.

O presidente disse que devido à extensa fronteira que compartilha com o México, a Guatemala se solidarizou com o país vizinho por ser o primeiro a chegar com a gripe e o mais afetado.

Colom comentou que a menina em que a doença foi detectada na Guatemala se encontra bem e não há indícios de que em sua família, colégio e bairro haja mais pessoas com o vírus.

As autoridades da Guatemala declararam nesta terça-feira "alerta laranja" em nível nacional para evitar a expansão do vírus da gripe, após ser confirmado o primeiro caso.

A medida implica aumentar a segurança de saúde, redobrar os cordões nas fronteiras e alertar a população sobre medidas de prevenção. Além disso, prevê uma "racionalização" das visitas aos pacientes hospitalizados.

A menina infectada está em um centro assistencial de Tegucigalpa e desde segunda-feira é medicada com antivirais. EFE fer/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG