Guatemala: advogado que acusou Colom planejou própria morte

O advogado guatemalteco que deixou um vídeo acusando o presidente Álvaro Colom por seu assassinato planejou e contratou a própria execução, concluiu nesta terça-feira a Comissão Internacional contra a Impunidade na Guatemala (Cicig), orgão criado pela ONU e que investigou o caso.

AFP |

Os investigadores determinaram que o advogado Rodrigo Rosenberg pediu a parentes de sua ex-mulher que contratassem pistoleiros para assassinar um homem que o estava extorquindo, mas forneceu informações, de forma deliberada, que levaram os criminosos a matá-lo, explicou o chefe da Cicig, o jurista espanhol Carlos Castresana.

"Em resumo, Rodrigo Rosenberg planejou a própria morte. Por alguma razão, buscou acabar com a própria vida", afirmou Castresana.

Os investigadores do Cicig chegaram a esta conclusão após analisar centenas de telefonemas de Rosenberg e de pessoas ligadas ao advogado.

A morte de Rosenberg, no dia 10 de maio de 2009, e a divulgação de um vídeo no qual o advogado culpava o presidente Álvaro Colom por sua execução, gerou uma grande crise política na Guatemala, levando milhares de guatemaltecos às ruas para exigir a renúncia do chefe de governo.

rz/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG