Guarda Revolucionária do Irã rejeita restabelecer relações com EUA

Teerã, 29 jan (EFE). - O secretário do Conselho da Guarda Revolucionária iraniana, o aiatolá Ahmad Jannati, se mostrou hoje contrário ao estabelecimento de relações diplomáticas com os Estados Unidos.

EFE |

Em entrevista à agência de notícias iraniana "Fars", o clérigo conservador avisou aos grupos iranianos que desejam retomar um diálogo com Washington que só "causarão problemas e farão papel de ridículo".

O Conselho da Guarda Revolucionária, integrado por 12 clérigos, é um órgão que zela pela aplicação dos princípios da Revolução Islâmica e tem poder para interpretar a Constituição, supervisionar as eleições e escolher os candidatos à Presidência e ao Parlamento.

"Alerto a esses grupos odiados e rechaçados pela sociedade que tentam estabelecer relações com os Estados Unidos, que querem dar sinal verde ao novo presidente americano e se reunir com ele, que só conseguirão fazer papel de ridículo", afirmou Jannati.

"Os Estados Unidos não têm nada a ver com nosso país. Aqueles que tentam estabelecer relações com eles somente causarão problemas", acrescentou o clérigo, que, em algumas ocasiões, costuma pronunciar o sermão oficial das sextas-feiras na mesquita da Universidade de Teerã.

Jannati, que foi a primeira autoridade iraniana a reagir ao anúncio, insistiu hoje em que aqueles grupos que apostam no Irã pela aproximação devem "rejeitar o caminho da dependência dos EUA e evitar, assim, incomodar o povo".

"Os que não apreciam esta revolução e ainda têm inclinações em direção ao Ocidente e em direção aos Estados Unidos tentam que dependamos deles para dar satisfação a eles", ressaltou.

"No entanto, ainda estamos muito longe dos altos ideais ensinados pelo imame Khomeini e temos que nos esforçar para chegar a eles", disse Jannati, que, em nenhum momento, especificou os membros dos grupos iranianos aos quais fazia referência. EFE msh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG