Guantánamo: testemunha não viu mísseis com motorista de Bin Laden

Um militar americano que presenciou a prisão de Salim Hamdan no Afeganistão não pôde confirmar nesta terça-feira, em um tribunal militar na base naval de Guantánamo, que o ex-motorista de Osama bin Laden carregava mísseis em seu carro, como afirma a acusação.

AFP |

A testemunha, com identidade não revelada, disse que viu um "veículo com vários mísseis", mas "foi impossível verificar se era o carro dirigido por Hamdan", informou à imprensa Gail Crawford, porta-voz do tribunal militar que julga Hamdan, capturado na "guerra contra o terrorismo".

Outro militar americano que presenciou a prisão e cuja identidade também não foi revelada garantiu que "os dois mísseis", além de passagens aéreas, passaportes e dinheiro estavam no carro do acusado.

Seis juízes militares devem determinar se Hamdan é culpado de "conspiração" e "apoio material ao terrorismo".

Após seis anos de total isolamento na base de Guantánamo, Hamdan pode ser condenado à prisão perpétua.

Capturado pelo Exército afegão em novembro de 2001 para ser entregue às forças americanas, Hamdan carregava dois mísseis terra-ar no porta-malas de seu carro, segundo a acusação.

lum/LR/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG