Guantánamo tem 210 detentos de 30 nacionalidades

A prisão de Guantánamo ainda tem 210 detentos procedentes de cerca de 30 países diferentes.

AFP |

De acordo com o Pentágono, a prisão de Guantánamo abriga uma centena de iemenitas, cerca de 20 afegãos e 20 argelinos, uma dezena de sauditas e sete chineses da minoria muçulmana uigur.

A Líbia, o Paquistão, a Tunísia e a Síria têm cada um entre cinco e dez representantes presos em Guantánamo.

Os outros prisioneiros do centro são procedentes do Kuwait, do Egito, da Somália, do Sudão, da Malásia, do Marrocos, da Mauritânia, da Indonésia, do Iraque, do Canadá, do Quênia, do Azerbaijão, do Tajiquistão e dos Emirados Árabes Unidos.

Desde a chegada de Barack Obama à Casa Branca, no dia 20 de janeiro deste ano, um detento iemenita se suicidou e um tanzaniano foi transferido para ser julgado por um tribunal federal dos Estados Unidos.

De acordo com uma contagem da AFP, um etíope residente britânico foi libertado no Reino Unido, assim como dois argelinos na França, quatro uigures nas Bermudas e outros seis no arquipélago de Palau, dois sírios em Portugal, dois uzbeques na Irlanda e um palestino na Hungria.

Dois tunisianos foram entregues às autoridades italianas para serem julgados.

Além disso, um iraquiano, um afegão, um iemenita, um chadiano, dois kuwaitianos e três sauditas foram mandados de volta para seus países respectivos.

lum/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG