Guantánamo: promotoria pede 30 anos de prisão para motorista de Bin Laden

O promotor do tribunal militar americano de Guantánamo (Cuba) pediu nesta quinta-feira uma pena de no mínimo 30 anos para Salim Hamdan, ex-motorista de Osama bin Laden, declarado culpado de apoio material ao terrorismo.

AFP |

"Quando vocês examinarem os fatos neste caso, devem considerar enviá-lo (Hamdan) à prisão perpétua", afirmou o promotor John Murphy no tribunal militar de exceção, o primeiro desse tipo desde a II Guerra Mundial instalado pelos Estados Unidos.

Uma sentença severa terá "um efeito tão benéfico que as pessoas vão pensar duas vezes antes de se aliar a Osama bin Laden ou ao próximo Osama bin Laden", disse.

Salim Hamdan, ex-motorista de Bin Laden, foi declarado culpado na quarta-feira, na base naval americana de Guantánamo, da acusação de "apoio material ao terrorismo" por um júri militar, em veredicto comemorado pela Casa Branca mas que seus advogados se dispõe a apelar.

Hamdan foi considerado culpado "de apoio ao terrorismo', por servir de motorista a Bin Laden e dar assistência à rede Al-Qaeda. Os promotores disseram que de 1998 a 2001 transportou armas para a Al-Qaeda e estava totalmente ciente de que a organização era de natureza terrorista.

ddl/lm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG