Um juiz nos Estados Unidos ordenou nesta quarta-feira que os militares americanos libertem um prisioneiro do campo de Guantánamo, em Cuba, que havia sido detido no Paquistão quando tinha 14 anos de idade. Segundo o juiz Richard Leon, o governo americano não provou que Mohamed el-Gharani, hoje com 21 anos, era um combatente inimigo e que ele deve ser mandado de volta para casa.

Gharani, nascido no Chade, foi preso em uma mesquita em outubro de 2001.

Seu advogado disse que ele foi acusado pelos Estados Unidos de ser um membro da rede extremista al-Qaeda em 1998. Gharani tinha apenas 11 anos na época.

Leia mais sobre: Al-Qaeda - Guantánamo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.