Guantánamo: juiz militar nega-se a suspender um julgamento

Um juiz militar de Guantánamo, James Pohl, negou-se nesta quinta-feira a suspender por 120 dias - como pedia a acusação e havia sido solicitado pelo presidente Barack Obama - o julgamento de um saudita acusado de estar envolvido no atentado do USS Cole, que causou 17 mortos em 2000.

AFP |

A informação foi confirmada à AFP por Jeffrey Gordon, porta-voz do departamento americano da Defesa, depois de divulgada no The Washington Post.

Na noite da posse, o presidente dos Estados Unidos pediu ao secretário de Defesa, Robert Gates, a suspensão dos processos para ter tempo de decidir sobre o destino dos polêmicos tribunais de exceção de Guantánamo.

lum/chl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG