Guantánamo é o pior lugar do mundo, afirma ex-prisioneiro

Um dos argelinos que acaba de ser libertado de Guantánamo descreveu a prisão militar americana como o pior lugar do mundo, em uma entrevista publicada por um jornal bósnio.

AFP |

"Durante quase sete anos fiquei no fim do mundo, no pior lugar do mundo", disse Mustafa Ait Idir ao jornal Dnevni Avaz, um dia depois de desembarcar na Bósnia, país em que morava antes de ser detido no fim de 2001.

"Teria sido duro se tivesse feito algo ruim, mas é muito mais difícil quando você é totalmente inocente", acrescentou.


Guantánamo é a prisão de segurança máxima dos EUA usada para abrigar acusados de terrorismo / AP

Idir chegou na terça-feira a Bósnia, ao lado de dois compatriotas também libertados de Guantánamo, Mohamed Nechla e Hadiji Boudella.

"Podem imaginar como estou feliz agora. Todos nós choramos", disse Idir sobre a mulher e os filhos.

Ao desembarcar no aeroporto de Sarajevo, os três foram interrogados pela polícia e liberados.

Os três integram o grupo de seis argelinos residentes na Bósnia detidos no fim de 2001 pela polícia bósnia, que suspeitava do planejamento de um atentado contra a embaixada dos Estados Unidos em Sarajevo.

Eles foram os primeiros detentos da prisão militar aberta há sete anos pelos Estados Unidos no sul da ilha de Cuba a recuperar a liberdade por ordem judicial.

O juiz americano Richard Leon determinou a libertação dos três semana passada, por considera que estavam detidos ilegalmente.

Leia mais sobre Guantánamo

    Leia tudo sobre: guantánamo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG