Damasco, 10 jan (EFE).- Os líderes de vários grupos palestinos estabelecidos em Damasco, entre eles o Hamas e a Jihad Islâmica, rejeitaram hoje a presença de observadores internacionais na Faixa de Gaza.

Em um comunicado, estes grupos, reunidos em torno da chamada Aliança de Forças Palestinas, criticaram a resolução 1860, aprovada na última quinta pelo Conselho de Segurança da ONU, que dizem que não satisfaz os "interesses nacionais".

Israel pediu a presença de forças internacionais na fronteira entre Egito e Gaza para evitar a entrada de armas na localidade.

A Aliança das Forças Palestinas pediu "o fim imediato da agressão de Israel, a retirada das tropas israelenses de Gaza, a interrupção do bloqueio e a abertura das passagens, especialmente a de Rafah", entre Egito e Gaza.

Após uma reunião realizada na capital da Síria, os líderes destes grupos expressaram sua rejeição "a qualquer acordo de segurança que danifique a resistência, seu papel e seu direito à legítima luta contra a ocupação".

Além disso, convocaram os líderes árabes a realizarem uma reunião de emergência e a "assumirem sua histórica responsabilidade sobre a guerra de extermínio" contra o povo palestino.

No entanto, também expressaram sua disposição de discutir "qualquer esforço sincero que busque o final da guerra de extermínio e os massacres que estão sendo realizados" contra o povo palestino.

EFE gb/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.