Grupos da internet temem parceria entre Google e agência americana

Após sofrer um ataque cibernético que suspeita ter sido lançado pela China, o Google recorreu à Agência Nacional de Segurança dos EUA (ANS) para evitar novos ataques, informa o jornal americano Washington Post.

iG São Paulo |

Segundo o jornal, a agência, que faz a segurança das redes de computadores e decodificação para o governo americano, está ajudando a gigante da internet a entender e analisar os ataques.

Apesar de fontes afirmarem que o acordo não permitirá que a ANS veja as buscas ou acesse as contas de emails dos usuários, a decisão do Google causou alarme entre grupos de internet e blogueiros que temem que as informações pessoais possam ser acessadas pela administração americana.

O Centro de Informação Eletrônica Privada, um centro de pesquisa pública com base em Washington, entrou com um pedido pela liberdade de informação em busca de detalhes do relacionamento da agência com o Google, informa nesta sexta-feira o jornal britânico Guardian.

"O Google e a ANS estão adotando um acordo secreto que poderia impactar a privacidade de milhões de usuários dos produtos e serviços do Google em todo o mundo", afirmou o diretor-executivo do centro, Marc Rotenberg, ao jornal americano New York Times.

Sam Diaz, blogueiro e editor do ZDNet, um site de tecnologia disse não acreditar muito na abilidade da agência de proteger a infraestrutura da companhia.

"Não creio que qualquer agência de Washington esteja no nível mais avançado para combater um ciberataque que muitos especialistas descreveram como um dos mais sofisticados já vistos", escreveu.

A companhia disse que foi alvo de um "ataque altamente sofisticado" em dezembro de 2009, que, disse, tinha origem na China. Em janeiro, o Google anunciou que não deseja mais censurar os resultados de busca em seu serviço chinês.

Leia também:

Leia mais sobre: Google - China

    Leia tudo sobre: chinaeuagoogleinternetwashington

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG