O movimento Tigres de Libertação da Pátria Tâmil, do Sri Lanka, admitiu pela primeira vez neste domingo que seu líder, Velupillai Prabhakaran, está morto. Uma nota emitida pelos rebeldes diz que seu líder incomparável foi martirizado e declara uma semana de luto a partir de 25 de maio.

A declaração, assinada pelo chefe de relações internacionais do grupo derrotado, Selvarasa Pathmanathan, diz que Prabhakaran foi morto "combatendo a opressão militar do governo do Sri Lanka" no dia 17 de maio.

Ela pede ainda que os tâmeis de todo o mundo que evitem "ações que possam prejudicá-los e a outros nesta hora de extrema dor".

Pathmanathan disse em entrevista por telefone à BBC que agora o movimento vai empregar meios pacíficos para lutar pelos direitos dos tâmeis.

O Exército cingalês divulgou na semana passada fotos que mostram ocorpo de Prabhakaran, e disse que ele foi morto nas fases finais da batalha contra os rebeldes no nordeste da ilha.

A derrota do movimento pôs fim a 26 anos de uma campanha de violência por uma pátria para os tâmeis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.