Um grupo palestino pouco conhecido, chamado As brigadas dos homens livres da Galiléia, reivindicou nesta quarta-feira o ataque de um palestino com uma escavadeira em Jerusalém.

Falando em nome desse grupo, um homem ligou para a AFP reivindicando o ataque. O interlocutor se apresentou como Hussan Taysir Dwayat, do povoado palestino de Sur Baher, Jerusalém Leste.

O mesmo grupo disse ser responsável por um ataque contra uma escola talmúdica que em 6 de março passado deixou oito mortos em Jerusalém, mas essa reivindicação nunca foi confirmada.

Pelo menos quatro pessoas morreram e 50 ficaram feridas no ataque executado nesta quarta-feira em Jerusalém com uma escavadeira, cujo motorista está entre os mortos, informou à AFP o porta-voz dos serviços de emergência israelenses.

"Contamos até o momento quatro mortos, incluindo o motorista da escavadeira, e 50 feridos, três deles gravemente", declarou Yeroham Mendola, porta-voz do Magen David Adom, equivalente israelense da Cruz Vermelha.

mib-pa/fp/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.