Grupo ligado à Al Qaeda pede sunitas de volta à jihad

Cairo, 24 set (EFE).- O dirigente do chamado Estado Islâmico do Iraque, um grupo formado por oito grupos radicais liderados pela Al Qaeda, pediu hoje aos sunitas iraquianos que se uniram às forças governamentais que retornem às fileiras da jihad (guerra santa).

EFE |

Em uma gravação divulgada por uma página radical islâmica, o líder da organização, Abu Omar al-Baghdadi, também adverte aos grupos que os EUA acabarão os traindo.

A gravação, cuja autenticidade não foi certificada, foi publicada devido ao segundo aniversário da criação do Estado Islâmico do Iraque, que além de ser um conglomerado de grupos radicais, pretende se transformar em um emirado islâmico que incluiria várias províncias israelenses.

Baghdadi também acusa esses grupos de terem abandonado o caminho correto depois que o Estado Islâmico do Iraque se sacrificasse por eles e de terem se unido ao Governo e às forças americanas.

"Todos os que considerávamos que estavam conosco no campo de batalha combatendo o ocupante infiel se aliaram com (...) os homens do Estado", disse Baghdadi em discurso pronunciado em árabe clássico, como é praxe entre esse tipo de líder radical. EFE aj/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG