Grupo ligado à Al Qaeda assume atentados a embaixadas em Bagdá

Bagdá, 9 abr (EFE).- O Estado Islâmico do Iraque, grupo vinculado à Al Qaeda, se declarou hoje autor dos atentados contra várias embaixadas em Bagdá que, no domingo passado, deixaram 30 mortos e 224 feridos.

EFE |

Em comunicado, a coalizão de grupos terroristas nega, no entanto, qualquer responsabilidade na série de atentados de terça-feira passada, também em Bagadá, que terminaram com 54 mortos e cerca de 200 feridos.

Sobre os ataques de domingo, o grupo terrorista diz que tinham como alvo embaixadas e representações de alguns países, entre eles a do Irã, que aponta como "promotor do projeto xiita no Iraque e fonte de todo mal".

Os atentados, ainda segundo a nota, também estavam dirigidos ao consulado do Egito por "ser culpado da morte dos muçulmanos" na Faixa de Gaza.

O texto diz que uma das bombas, dirigida contra a embaixada da Alemanha, buscava castigar o país europeu por sua participação na Guerra do Afeganistão.

Os terroristas advertem ainda que todas as embaixadas e organismos políticos internacionais com sede no Iraque se tornaram "alvos legítimos" de suas ações. EFE ah/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG