Grupo islâmico combina com Governo paquistanês a implantação de sharia

Islamabad, 16 fev (EFE).- As autoridades paquistanesas assinaram hoje um acordo com um grupo islâmico para implantar um sistema de justiça baseado na sharia - lei islâmica - na região noroeste de Malakand, que será aplicado quando for restaurada a paz no vale de Swat.

EFE |

O chefe do Governo da Província da Fronteira do Noroeste (NWFP), Haider Khan Hoti, anunciou à imprensa que seu Governo combinou com o grupo fundamentalista Tehreek-e-Nafaz-e-Shariat-e-Mohammadi (TNSM, em inglês) implantar um marco legal baseado na sharia em Malakand, região que inclui o vale de Swat.

O TNSM tem uma forte presença no vale de Swat, onde inúmeros grupos talibãs controlam uma grande parte do território e combatem o Exército paquistanês, que lançou várias operações na zona.

Na saída de uma jirga - assembleia tribal - Hoti afirmou que a decisão de seu Governo regional é fruto do diálogo com o TNSM e concretamente com seu fundador, Sufi Mohammed, assim como com outros lideres religiosos e políticos da região.

Hoti não especificou quando entrará em vigor o novo marco legal em Malakand, que estará dentro dos limites da Constituição, e condicionou o acordo a que a paz seja restabelecida no vale de Swat.

O chefe do Governo da NWFP afirmou que o presidente do Paquistão, Asif Alí Zardari, deu seu sinal verde para o acordo, embora a ministra da Informação, Sherry Rehman, tenha afirmado que Zardari não assinará o pacto até o final da violência na região, informa a emissora "Dawn". EFE igb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG