Grupo islâmico ameaça atacar a China durante Olímpiada

DUBAI (Reuters) - Um grupo islâmico ameaçou fazer ataques contra os Jogos Olímpicos de Pequim e fez um apelo para que os muçulmanos se mantenham afastados de qualquer tipo de atividade ligada aos eventos olímpicos, disse uma empresa norte-americana de monitoramento de terroristas nesta quinta-feira. O Partido Islâmico do Turquistão fez uma nova ameaça (...) contra os Jogos Olímpicos de Pequim, reportou a IntelCenter.

Reuters |

'Não fiquem no mesmo ônibus, no mesmo trem, no mesmo avião, nos mesmos prédios, ou em qualquer lugar em que os chineses estiverem', disse o grupo em um vídeo intitulado 'Chamado à Nação Muçulmana Global', de acordo com a empresa norte-americana.

Em julho, autoridades chinesas negaram reivindicações do grupo de que ele estaria por trás de uma série de ataques antes dos Jogos Olímpicos.

Na época, o Partido Islâmico do Turquistão (TIP, na sigla em inglês) divulgou um vídeo ameaçando os Jogos e reivindicando a autoria de explosões em ônibus nas cidades de Xangai e Kunming, capital da província de Yunman.

No novo vídeo, datado do dia 1o de agosto, um locutor 'descreve a barbárie feita pela China com os muçulmanos no leste do Turquistão, justificando a jihad declarada contra o regime comunista', disse a Intelcenter.

O vídeo exibiu imagens do logotipo dos Jogos de Pequim em chamas e um homem segurando um rifle AK-47. Ele vestia um turbante preto, tinha o rosto coberto e estava na frente de uma bandeira preta com as palavras em árabe 'Não há outro Deus se não Alá, Maomé é o mensageiro de Deus'.

O homem pediu que os muçulmanos oferecessem apoio financeiro, físico, espiritual e verbal, segundo a IntelCenter.

'A China rejeita o Islã e força os muçulmanos ao ateísmo ao capturar e matar professores islâmicos e destruir escolas islâmicas', disse, de acordo com a empresa norte-americana.

(Reportagem de Inal Ersan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG