Grupo indonésio tinha 20 bombas preparadas para cometer atentados

Jacarta, 4 jul (EFE) - Os dez de supostos membros do grupo terrorista Jemaah Islamiya detidos esta semana na Indonésia tinham preparado 20 bombas caseiras carregadas também com balas com a intenção de causar o máximo dano, indicou hoje a Polícia.

EFE |

Em entrevista coletiva, o diretor da Polícia Nacional, Sutanto, assinalou que o material apreendido com o grupo evidencia uma mudança de técnica da Jemaah Islamiya, e que a captura aconteceu quando tudo estava pronto para que novos ataques fossem cometidos.

"Mudaram de técnica, as bombas não só continham estilhaços, mas também balas", disse Sutanto, que, como muitos indonésios, usa apenas um nome.

A maior parte do material confiscado foi encontrado em uma casa da cidade de Palembang, onde preparavam o primeiro atentado contra uma cafeteria de Bukittinggi, localidade também situada na ilha de Sumatra.

Além disso, a célula da Jemaah Islamiya, considerada o elo da rede terrorista Al Qaeda no Sudeste Asiático, planejava cometer atentados contra vários alvos em Jacarta, a capital do país.

A Polícia identificou o fabricante das bombas como Mohammed Hassan, conhecido como Abu Hamza, nascido na Cingapura, e relacionado com Noordin Mohammed Top, um dos chefes da Jemaah Islamiya e o terrorista mais procurado pelas forças de segurança indonésias.

Segundo as autoridades indonésias, Noordin foi um dos cérebros do atentado de outubro de 2002 em Bali, que matou 202 pessoas, a maioria estrangeiras. EFE jpm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG