Grupo evangélico apresenta abaixo-assinado pedindo processo de Ahmadinejad

Nações Unidas, 17 set (EFE).- Um grupo evangélico anunciou hoje que entregará às Nações Unidas um abaixo-assinado com 56 mil assinaturas de cristãos de 128 países para que o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, seja processado por incitar o genocídio do povo judeu.

EFE |

O grupo chamado Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém (ICEJ, na sigla em inglês) disse em comunicado que apresentará as assinaturas na próxima quinta por ocasião da participação do presidente iraniano da 63ª sessão da Assembléia Geral da ONU no dia 23 de setembro.

Em carta anexa ao pedido, a organização expressa sua preocupação com as inúmeras declarações de Ahmadinejad a favor da destruição de Israel e as supostas referências do líder iraniano em alguns de seus discursos à vinda do 13º imame, o que marcará o final dos tempos.

"Preocupa-nos que as repetidas ameaças do Irã com relação à eliminação do Estado judeu e seus esforços para conseguir as armas nucleares para cumprir estas ameaças sejam uma campanha para cometer um genocídio", declarou no comunicado o diretor do ICEJ, o reverendo Malcolm Hedding.

Hedding afirmou que tanto sua organização como as Nações Unidas surgiram das "cinzas do Holocausto" e que a comunidade cristã tem a obrigação moral de levantar a voz em defesa do povo judeu, após o "silêncio da maior parte do clero cristão diante da horrorosa tentativa da Alemanha de aniquilar os judeus europeus".

O diretor do ICEJ afirmou que o programa nuclear iraniano e as manifestações do presidente do Irã constituem um "potente elixir".

Além disso, ele criticou o convite de alguns líderes religiosos protestantes a Ahmadinejad para participar de um diálogo durante sua visita aos EUA.

"Jesus não conversou com Herodes, pois representava um sistema corrupto e malvado. Estes líderes cristãos serão associados a partir de agora com apaziguamento do mal", acrescentou.

O ICEJ é uma organização cristã com sede em Jerusalém criada em 1980 para "enfrentar finalmente os agravos que o povo judeu sente por causa da trágica história do anti-semitismo cristão". EFE jju/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG