Grupo encapuzado ataca unidade de combate ao crime no Chile

Homens encapuzados atacaram a sede do Escritório de Investigação Criminal em Santiago, no Chile, na quarta-feira, deixando pelo menos um policial ferido, segundo as autoridades. Os responsáveis, que seriam estudantes segundo a polícia, jogaram coquetéis Molotov contra o prédio.

BBC Brasil |

Eles teriam então fugido e se escondido em uma universidade próxima, onde foram cercados por policiais. Algumas pessoas teriam sido presas.

Mapuche

O ataque teria sido um protesto contra um recente confronto entre forças do governo e indígenas da tribo mapuche. Os mapuche representam cerca de 6% da população chilena e vivem em comunidades pobres no sul do país. Eles alegam que o governo não faz o suficiente para ajudá-los.

O ataque de quarta-feira acontece depois de vários confrontos violentos em agosto, causados por questões de terra no sul do Chile.

A presidente Michelle Bachelet pediu que as comunidades mapuche recorram ao diálogo em lugar da violência, mas as ocupações de terras e manifestações continuaram.

Setembro

Setembro é um mês de protestos no Chile, normalmente liderados por estudantes, em que os manifestantes trazem à tona problemas sociais, econômicos e de direitos humanos.

Os protestos coincidem com o aniversário do golpe militar de 1973, que colocou o general Augusto Pinochet no poder.

    Leia tudo sobre: chilecrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG