Grupo de supostos brasileiros invade delegacia em Lisboa

Um grupo de 10 a 15 pessoas com sotaque brasileiro invadiu no domingo uma delegacia de polícia para agredir uma pessoa. O caso ocorreu no domingo, na 35ª Esquadra (delegacia) da Polícia de Segurança Pública, em Moscavide, um subúrbio de Lisboa.

BBC Brasil |

O clima na região é de medo. "Eram uns 15 brasileiros perseguindo três portugueses, com garrafas quebradas na mão", afirmou à BBC Brasil a proprietária de um café ao lado da delegacia, que não quis se identificar.

"Um deles entrou na delegacia, tentando se proteger", acrescentou a testemunha. "Foi muito rápido. Eles entraram e logo depois saíram."
Sem queixa
A versão da polícia é semelhante. "Um grupo de 10 a 11 indivíduos iniciou uma agressão fora da esquadra", disse a comissária Ana Néri, do Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública. "Um deles entrou na esquadra, os outros entraram atrás, e a agressão continuou."
Segundo a comissária, dificilmente será realizado um inquérito. "Isso depende do Ministério Público, mas o agredido não quis apresentar queixa, nem deu nomes ou apelidos das pessoas que o agrediram, provavelmente porque também era um agressor na confusão que ocorreu fora da esquadra."
"Eles são conhecidos por aqui", disse a dona do café, quando questionada sobre quem eram e onde vivem os brasileiros. "Eles vêm do Casal dos Machados, perto do apeadeiro", acrescentou, referindo-se a um bairro com grandes edifícios cinzentos perto da estação de trem mais próxima.

Na hora da invasão da delegacia, havia apenas um policial de serviço. Outros dois agentes estavam fora do local, em patrulha.

A comissária Ana Neri afirmou que foi a primeira vez que isso ocorreu na região. "O incidente constituiu um caso isolado", disse. A região não tem uma criminalidade superior à média da capital portuguesa.

A Associação Sindical dos Profissionais de Polícia reclamou da falta de efetivo e de não haver vigilância por câmaras de vídeo dentro da delegacia.

Imprensa
A imprensa portuguesa teve o cuidado de não atribuir a invasão da delegacia a brasileiros. No jornal 24 Horas, o texto citava "indivíduos com sotaque brasileiro" como responsáveis pela agressão dentro da delegacia.

Para o cônsul do Brasil em Lisboa, Renan Paes Barreto, o incidente não vai afetar a imagem dos brasileiros no país.

"Se tivéssemos apenas 3 mil brasileiros, o que um brasileiro faz teria conseqüências na imagem de todos os brasileiros", disse Barreto. "Mas em mais de 100 mil, é natural que se tenha o lado bom e o menos bom dos brasileiros."
A comissária Ana Néri evitou a generalização. "Eventualmente, talvez só um ou dois dos dez que estavam envolvidos na agressão sejam brasileiros", afirmou. "Acredito que não se deva atribuir a uma determinada comunidade a responsabilidade por um ato. Isso seria uma discriminação."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG