Grupo de resgate uruguaio viaja ao Haiti

Montevidéu, 15 jan (EFE).- Um grupo de resgate integrado por cinco membros do Exército uruguaio com seus respectivos cães treinados viajou hoje ao Haiti para participar da tarefa de busca de sobreviventes, informaram hoje fontes militares.

EFE |

Os militares, entre eles três oficiais - incluindo uma mulher -, pertencem a um grupo do Exército especializado no resgate de pessoas vivas ou recentemente falecidas, e está preparado para operar em zonas urbanas e rurais.

"Esperamos poder colaborar para resgatar pessoas que estejam vivas sob os escombros", afirmou o oficial Alejandro Echevarría.

O grupo de resgate que viajou para o Haiti transporta também novos equipamentos de comunicação para os responsáveis da força uruguaia que integra a Missão de Estabilização da ONU no Haiti (Minustah).

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 de Brasília da terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do país. A Cruz Vermelha do Haiti estima que o número de mortos ficará entre 45 mil e 50 mil.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, havia falado de "centenas de milhares" de mortos.

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 14 militares do país que participam da Minustah morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor.

Diferente do número do Exército, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, aumentou hoje o número de mortos para 17 - considerando as mortes de Luiz Carlos da Costa, funcionário da ONU, e de outro brasileiro que não identificou -, segundo informações da "Agência Brasil". EFE jf/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG