Os salários dos executivos de empresas não devem ser regidos mediante uma lei ou medidas regulamentares, afirma um grupo de chefes de grandes empresas em um relatório publicado nesta segunda-feira pelo instituto privado de conjuntura Conference Board.

Sobre este ponto, "uma política baseada em regras está desprovida da flexibilidade essencial que se requer para conciliar a diversidade dos setores de atividade, das estratégias, dos planes de negócios e do nível de desesenvolvimento representado por mais de 12.000 empresas americanas de renome", assinala o grupo de trabalho sobre a remuneração dos executivos.

Em um artigo publicado no New york Times, o prêmio Nobel de economia Paul Krugman demonstra sua revolta com o fato de que os salários de "Wall Street estão regressando ao nível que tinham antes da crise" e lamenta que o presidente Barack Obama não pareça estar disposto a enfrentar os banqueiros.

O governo americnao desistiu, em junho, a reduzir através de leis os salários de empresas amerianas e bancos, depois de afirmar que certos excessos nos salários e gratificações estavam na origem da crise financeira.

mj/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.