Grupo de direitos humanos diz que 24 morreram em Cuba pelo frio

HAVANA (Reuters) - Um grupo de direitos humanos em Cuba, integrado por opositores do governo, disse nesta quinta-feira que 24 pacientes de um hospital psiquiátrico de Havana morreram de hipotermia devido às baixas temperaturas na ilha nesta semana. Um porta-voz do governo disse que não havia recebido a informação das mortes.

Reuters |

O porta-voz da Comissão Cubana de Direitos Humanos, Elizardo Sánchez, indicou que os pacientes não estão devidamente protegidos para resistir às baixas temperaturas que a ilha registrou nas últimas semanas, com mínimas inferiores aos 10 graus Celsius.

"A CCDHRN (Comissão Cubana) manifesta sua profunda preocupação com o alto número de mortes evitáveis ocorridas no início desta semana no hospital psiquiátrico", disse um comunicado do grupo.

As mortes aconteceram entre a segunda-feira e a madrugada da terça, quando a região onde está o hospital psiquiátrico de Havana registrou temperaturas mínimas de 3,7 graus Celsius, segundo Sánchez.

(Reportagem de Nelson Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG