Grupo de 9 estrangeiros é sequestrado no Iêmen, diz agência

Sana- A agência oficial de notícias do Iêmen Saba informou que sete cidadãos alemães, um britânico e uma coreana foram sequestrados na província de Saada, no noroeste do país.

EFE |

A agência, que citou um responsável local não identificado, assegura que as autoridades acreditam que a organização xiita "Jamaa al Juti", um dos grupos insurgentes que operam no norte do país, está por trás do sequestro, que aconteceu neste sábado.

No entanto, em comunicado, o escritório do líder deste grupo radical xiita iemenita, Abdel Malek al Huti, nega que sua organização esteja envolvida no sequestro dos nove estrangeiros.

"Afirmamos que a acusação das autoridades contra nós é uma acusação nula, falsa e que constitui uma calúnia política lançada pelas autoridades. Isto é uma prova de sua ruína e sua desorientação", explicou a nota.

O comunicado foi enviado aos jornalistas por e-mail e sua autenticidade não pôde ser verificada.

Yamaa al Huti passou para as autoridades a responsabilidade do resgate dos sequestrados. Até o momento, ninguém assumiu o sequestro.

O grupo de sequestrados desapareceu ontem quando estavam em uma excursão na região de Garaz, no sul de Saada.

Entre os capturados, estão um técnico alemão, sua mulher e três crianças, além de outras duas enfermeiras alemãs, um técnico britânico e uma professora coreana, segundo a "Saba", que assegura que os estrangeiros trabalham no hospital estatal Al Jumhuri, em Saada, a 240 quilômetros a noroeste da capital iemenita.

Depois do sequestro, as autoridades lançaram uma operação de busca na província, onde membros de uma tribo iemenita libertaram vários membros do pessoal de saúde de outro hospital de Saada, na sexta-feira.

Leia mais sobre: sequestro

    Leia tudo sobre: seqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG