Centro de detenção fica na cidade de Reyonsa, no Estado de Taumalipas, palco da chacina de imigrantes latinoamericanos

Um total de 85 presos de uma penitenciária da cidade mexicana de Reynosa, na fronteira com os Estados Unidos, fugiram na manhã desta sexta-feira. A informação foi dada pelo governo do Estado de Tamaulipas, no nordeste do país, palco de uma recente chacina de imigrantes latinoamericanos.

"Estamos investigando os fatos, mas neste momento podemos confirmar que são 66 internos do foro federal", 19 do foro comum, disse em coletiva de imprensa Antonio Garza, secretário de Segurança Pública do Estado.

As autoridades estão investigando 44 funcionários do Centro de Execuções de Sanções de Reynosa, incluindo seu diretor, que podem ter tido responsabilidade na fuga, enquanto dois presos sob custódia da prisão estão desaparecidos, afirmou o funcionário.

Anteriormente, um responsável da própria Secretaria de Segurança Pública disse à AFP que ao menos 70 presos tinham fugido, que cumpriam pena por diverses crimes, incluindo narcotráfico, em uma fuga realizada sem o uso da violência.

Fronteira

Reynosa, vizinha à cidade americana de Mc Allen, no Texas, e o resto do Estado de Taumalipas são cenário desde o início do ano de disputas entre os antigos aliados cartéis do Golfo e Los Zetas.

Quase 200 presos fugiram este ano de prisões de Tamaulipas. Em março passado, 41 réus fugiram de uma cadeia da cidade de Matamoros, também na fronteira com os Estados Unidos, e em abril 13 presos foram libertados por um comando de homens armados que entrou disparando em uma cadeia de Reynosa.

Cartéis de drogas do México contornam a ofensiva do Estado e expandem atividade por meio de alianças
Arte/iG
Cartéis de drogas do México contornam a ofensiva do Estado e expandem atividade por meio de alianças

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.