Istambul - Um total de 49 oficiais das Forças Armadas da Turquia, entre membros da ativa e da reserva, foram detidos em uma grande operação contra uma suposta organização que planejaria um golpe de Estado, informaram hoje os veículos de comunicação turcos.

A operação começou na manhã de segunda-feira, com o registro de várias casas onde foram apreendidos documentos e detidos oficiais do Exército que nesta terça foram colocados à disposição da Justiça.

Entre os detidos há 17 generais reformados, quatro almirantes ativos e 28 oficiais de menores patentes.

Alguns dos nomes dos militares detidos já tinham sido citados nos sumários da acusação de diversos planos de golpe de Estado relacionados com a Ergenekon, uma suposta rede de ideologia ultranacionalista que pretendia semear o caos na Turquia com atentados e assassinatos.

O objetivo do grupo seria justificar uma intervenção militar contra o Governo islamita moderado de Recep Tayyip Erdogan. No entanto, até agora, nenhum destes militares tinha sido detido.

As novas detenções estão relacionadas com a investigação de um suposto plano de golpe de Estado redigido em 2003.

Esse complô tinha previsto atentados contra duas mesquitas em Istambul, a derrubada de um avião militar turco no Mar Egeu para forçar um confronto com a Grécia e a prisão de intelectuais críticos do Exército.

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, que se encontra em visita oficial na Espanha, explicou ontem em entrevista coletiva que acompanha o desenvolvimento dos eventos em seu país, mas se negou a avaliar os fatos por tratar-se de uma investigação sob responsabilidade da Justiça.

Leia mais sobre: Turquia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.