DUBAI (Reuters) - Um grupo ligado à Al Qaeda assumiu a responsabilidade no sábado por um ataque à embaixada italiana na capital do Iêmen, Sanaa, há três dias. A Organização Al Qaeda na Península Arábica --Brigada dos Soldados do Iêmen-- assume a responsabilidade pela operação santa... na manhã de quarta-feira, 30 de abril de 2008, (que atacou) o prédio da embaixada italiana em Sanaa com duas bombas, disse o grupo em um comunicado em um site afiliado à Al Qaeda. O comunicado diz que o ataque tinha o objetivo de expulsar infiéis da Península Arábica, casa dos locais mais sagrados do Islã.

Duas bombas atingiram o estacionamento de um prédio da alfândega adjacente à embaixada italiana na quarta-feira, mas não houve mortes.

No mês passado, um grupo ligado à Al Qaeda disse que atirou três bombas contra um complexo que abrigava norte-americanos e outros ocidentais em Sanaa, mas ninguém se feriu.

Em março, uma escola perto da embaixada norte-americana foi atingida por bombas, ferindo 13 meninas e 5 soldados iemenitas.

O Iêmen tem vivido um aumento de pequenos ataques a prédios do governo e embaixadas estrangeiras nas últimas semanas.

O país, que se juntou à guerra contra o terror depois dos ataques de 11 de setembro de 2001 aos EUA, é visto no Ocidente como um refúgio para militantes islâmicos acusados de envolvimento em ataques a alvos ocidentais e de embates com as autoridades.

(Por Lin Noueihed)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.